Xtinto – Pentagrama Lyrics

[Intro]
Difundo-me no teu fumo
Eu sei que ‘tavas lá quando eu vim de baixo
Difuso o nosso rumo
Sem ver encaminhado o nosso barco ao cais
‘Tão diz-me quando eu for
Se ainda me vais ouvir sete palmos abaixo
Propagado no fumo
Eu só quero ‘tar no fluxo do que lagrimares

[Verso 1]
No deserto fui colhendo o tempo ya
Grão a grão encher a ampulheta
Fiz-me pó sem cheirar por entre a
Linha que traçava esse nosso penta
Grama à grama contei vinte
E uma a levitar no pentagrama sem convite
Vi o mar a liquidar a areia branca do meu limbo
Mas não vingo a lourear dentro da casca sem pevide
Metamorfose é fora da crisálida
Quis alinhar os sete chakras, são sete chagas num caos
E dá-me casa que o ócio quis ausentar-se
Enclausurado em farsas, ilusões dum falso habitat
Evoco o diabo e ‘tá nos meus ornatos, vi-o lentamente
A querer tornar todos os meus ordenados violeta mesmo
Com a silhueta da caneta tremo

[Refrão]
Difundo-me no teu fumo
Eu sei que ‘tavas lá quando eu vim de baixo
Difuso o nosso rumo
Sem ver encaminhado o nosso barco ao cais
‘Tão diz-me quando eu for
Se ainda me vais ouvir sete palmos abaixo
Propagado no fumo
Eu só quero ‘tar no fluxo do que lagrimares

[Verso 2]
Por entre escombros eu vejo que ombros
Dão-me arrombos ‘tão encolho-os em três pontos
Líbido conduz com um duche lavo a cara quando os
Dreads lá na front abanam cornos como pombos como pão o bucho
Já virou palheiro sem agulha a ponto cruz
A fazer barulho ronca em combustão puxo
De bolsos sem kumbu e sem notas e tu notas como estão um luxo
Embalsa-me e leva-me a casa
Em valsa mino o passo em falso
A dizerem que eu falo só palha
Mas byters esticam mortalhas
Pa’ fuma-la puff puff mala
Posta em sala, que eles falam é teatro e no meu há snuff halla
Sem grandes filmes e eu ‘tou a falar a sério
No rap a partir fetos sem grandes filmes e eu ‘tou a falar a sérvio
Então serve-me desse rum
Serve-o

[Refrão]
Difundo-me no teu fumo
Eu sei que ‘tavas lá quando eu vim de baixo
Difuso o nosso rumo
Sem ver encaminhado o nosso barco ao cais
‘Tão diz-me quando eu for
Se ainda me vais ouvir sete palmos abaixo
Propagado no fumo
Eu só quero ‘tar no fluxo do que lagrimares

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *